Dicas para lidar melhor com a procrastinação


Todo mundo diz que a vida só volta ao normal depois do Carnaval. Mas aqui, as coisas já estão caminhando e eu sigo procurando ajudá-los a vencer a tão conhecida – e detestada – procrastinação.

No post anterior (Veja aqui) eu expliquei um pouco sobre o que é a procrastinação e por que ela acontece. Se você não leu, dá uma olhadinha porque vai te ajudar a pensar nos motivos que te levam a adiar suas tarefas.

Para resumir, procrastinação é a atitude de adiar algo que precisa ser feito, mesmo que isso gere prejuízos a longo prazo ou sentimento de culpa.

Você é uma pessoa que, como muitas, traça muitas metas no início do ano e chegando ao final dele não consegue realizar nem a metade? Saiba que você não está sozinho. A procrastinação afeta cronicamente de 15 a 20% da população adulta e esporadicamente até 90% das pessoas em geral.*

Para isso, existem algumas maneiras para lidar melhor com a procrastinação. Vamos a elas:


1 – Deixar de se cobrar tanto:

Muitas vezes o perfeccionismo atrapalha e impede até mesmo que as atividades mais simples sejam feitas. É preciso conciliar a vontade de fazer algo da melhor forma possível com aquilo que pode ser feito naquele momento. Muitas vezes é melhor fazer algo dentro de suas limitações, do que não fazer nada.


2 – Permitir-se errar de vez em quando:

O medo de fracassar em alguma coisa pode ser um dos motivos que levam à procrastinação, mas procurar ser benevolente consigo mesmo e aceitar suas falhas pode ajudar a lidar com a sensação de fracasso. Ao longo da vida, todas as pessoas passam por momentos em que são muito cobradas a fazerem algo bom, mas perfeito mesmo, só super-herói! Não se deve tentar ser a Mulher Maravilha, ou Super-Homem. Somos seres portadores de muitas falhas e limitações, mas dá muito trabalho aceitar essa nossa natureza imperfeita. Contudo, tentar atender a exigências desumanas pode ser ainda mais gerador de sofrimento. Se precisa fazer algo: Tente, se não der certo, pense no que te fez errar, leve as críticas em consideração e procure corrigir para tentar de novo, tendo sempre em mente que é impossível agradar a todos.


3 – Avaliar o sentido que aquela tarefa tem, ela precisa ser feita dessa forma?

No post anterior eu disse que fazer uma tarefa sem sentido pode levar ao desânimo. Então, se uma tarefa está sendo demasiadamente penosa para você, pare pra pensar se ela precisa realmente ser feita e se precisa ser feita daquela forma. Muitas vezes, uma atividade que não está alinhada aos nossos valores e objetivos pode ser muito desestimulante. Por isso, repense: qual o sentido de eu fazer isso? Preciso fazer da forma que estou pensando ou há um jeito melhor para executá-la? Se não tiver jeito, faça o que deve fazer começando pela parte mais difícil e deixando o mais fácil para o final.


4 – Desmembre tarefas difíceis em pequenas partes:

Se você conseguiu traçar um plano de ação ou tem alguma atividade em mente para realizar, mas ela é muito difícil de ser realizada, pode ser que você sinta preguiça, fique desanimado ou simplemente tente adiá-la o máximo possível. Deixar de fazer algo necessário ou que você deseja pode gerar muita frustração. Então, para lidar com tarefas difíceis, desmembre-as em várias “micro partes”. É como alguém que vai construir uma casa: primeiro faça os alicerces, depois subas as paredes, cuide da elétrica e da hidráulica, faça a laje, somente depois o telhado, então faça os acabamentos e finalize. Parte por parte. Se dê de presente alguma gratificação ao término de cada “micro-tarefa”, pode ser uns minutos de descanso, um sorvete, uma volta para caminhar, assistir a um filme, enfim, qualquer coisa que te agrade. Comemore as pequenas vitórias e siga rumo à finalização!!!


5 – Ter momentos de descanso definidos:

Trabalhar muitas horas seguidas é muito cansativo e até mesmo improdutivo. Permita-se ter momentos de descanso e programe-os em sua agenda.

Deixe desde algumas horas durante um dia ou alguns dias da semana para simplesmente não fazer nada. Todos nós precisamos disso, o descanso, o lazer e o prazer são partes necessárias para uma vida saudável!

Se você se perceber procrastinando, procure identificar o motivo e tomar a ação mais adequada para resolvê-lo. Mas, não se culpe, permita-se momentos de fantasia, devaneios, descanso e diversão!



*Para saber mais a respeito:

BRITO, Fernanda de Souza; BAKOS, Daniela Di Giorgio Schneider. Procrastinação e terapia cognitivo-comportamental: uma revisão integrativa. Rev. bras.ter. cogn., Rio de Janeiro , v. 9, n. 1, p. 34-41, jun. 2013 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-56872013000100006&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 22 dez. 2017. http://dx.doi.org/10.5935/1808-5687.20130006.

35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo