Carreiras: Terapia Ocupacional


Todos nós em alguns momentos da vida tivemos que fazer escolhas difíceis. Nessas horas, muitas dúvidas surgem e, com elas, o medo de errar. Mas afinal, quais aspectos devemos levar em consideração na hora de escolher uma profissão? Uma coisa muito interessante é poder conversar com quem já trabalha na área e buscar informações sobre as atividades, rotina, curso, mercado de trabalho, entre outras coisas. Com o objetivo de contribuir com essa busca, iniciei um projeto sobre escolha de carreiras e, em parceria com diversos profissionais, apresentarei uma série de entrevistas sobre algumas profissões.

A entrevista de hoje foi com a Débora Mazzani Holmos, Terapeuta Ocupacional – CREFITO-3/13899-TO. Se tiver alguma dúvida, escreva para ela em debbymazzani@yahoo.com.br, que ela terá muita satisfação em respondê-lo!

Qual é a sua profissão?

Terapeuta Ocupacional

O que se faz em sua profissão? Quais são os possíveis campos de atuação?

A Terapia Ocupacional (T.O.) é um campo de conhecimento e de intervenção em saúde, educação e na esfera social. Por meio de atividades e tecnologias especificas, visa a autonomia e emancipação de pessoas que, por razões ligadas à problemática específica, físicas, sensoriais, mentais, psicológicas e/ou sociais apresentam temporariamente ou definitivamente dificuldade da inserção e participação na vida social.

Desta forma atendemos pessoas de todas as idades, de recém nascidos a idosos e intervimos em campos diversificados de atuação, tanto no setor publico quanto privado, tais como:

Atenção Básica, Saúde Mental, Saúde do Idoso, Reabilitação Física e Funcional, Atenção Hospitalar, Atenção Domiciliar, Inclusão Escolar, Economia Solidaria e Geração de Renda, Atenção a pessoas com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, Atenção a pessoas com Deficiência Intelectual ou Transtorno Global do Desenvolvimento (como no caso do autismo).

Como é a rotina da profissão?

Temos que cumprir obrigatoriamente uma carga horária de ate 30h semanais, e a rotina depende do local e da área de atuação. No meu caso, trabalho em um Hospital Dia de Saúde Mental e trabalho de segunda a sexta das 13h30 as 17h. Lá, coordeno grupos terapêuticos de expressão como ateliê, teatro, dança, música e poesias, grupos de orientação e educação em saúde e faço atendimentos individuais em terapia ocupacional. Com a equipe discutimos os projetos terapêuticos singulares de cada sujeito visando sua reinserção social.

Como está o mercado de trabalho atualmente?

A Terapia Ocupacional tem crescido muito e ampliado seu campo de atuação. E por atuarmos em diversas áreas tem-se um cenário positivo no mercado de trabalho, com bastante oferta de emprego.

Como é o curso, duração, estrutura, etc.?

O curso tem duração de quatro anos contando em média com dois anos de estágio obrigatório além de práticas supervisionadas, muitas vezes oferecidas pela Universidade.

Quais as disciplinas do curso?

Por ser uma profissão que abarca campos diferentes, nossa grade curricular é ampla. Conta com disciplinas tais como Anatomia, Biologia Humana e Tecidual, Neuroanatomia, Ortopedia, Cinesiologia, Genética, Sociologia, Psicologia do Desenvolvimento, Atividades e Recursos Terapêuticos, Repertório de Atividades, Geriatria e Gerontologia, Processo Saúde e Doença, Políticas Públicas de Saúde, História da Terapia Ocupacional, Ética, Comunicação, Artes e Ação Educativa, Antropologia, Desenvolvimento Infantil, Práticas Corporais, Saúde Mental, Terapia Ocupacional Social, Programas Hospitalares, Deficiência Intelectual e Distúrbio Global do Desenvolvimento, Inclusão Escolar, Psicologia Social e do Trabalho, Saúde e Trabalho, Abordagens grupais em Terapia Ocupacional, Saúde da Pessoa com Deficiência, Neurologia, Recursos Tecnológicos, Linguagens, Atividades da Vida Diária (AVDs), Cotidiano, além de disciplinas comuns a todos os cursos, como Metodologia do Trabalho Científico e Estatística.

É possível trabalhar e estudar ao mesmo tempo?

Na maioria das Universidades, o curso acontece em período Integral, o que dificulta estudar e trabalhar ao mesmo tempo. Além disso, por ser uma profissão que tem uma responsabilidade grande com a saúde, educação e bem estar do ser humano, o curso é bem puxado e conta com uma carga de leitura extensa, para um bom embasamento teórico, além da exigência em Práticas Supervisionadas e Estágios .Entretanto, existem faculdades onde o curso é ministrado em meio período, (manhã, tarde ou noite) e a possibilidade de conciliar estudo e trabalho, é maior.

Você conhece ou recomenda alguma Universidade na área?

Como sou de São Paulo, desconheço o curso em outras regiões do Brasil, mas o que sei é que no geral, há um grande comprometimento com o ensino. Em São Paulo, os cursos mais qualificados são ministrado por Universidades de ensino Publico como USP, UFSCAR, UNESP e UNIFESP e pelas particulares como PUCAMP e Faculdade São Camilo.

Quais são as áreas de sua profissão? É possível se especializar em alguma de suas vertentes/campos?

A T.O. Abarca diversas áreas de desempenho ocupacional tais como: Cognitivo, Neuropsicomotor, Musculoesquelético, Tecnologia Assistiva, Psicossocial, Percepto-Cognitivo, Senso-Perceptivo, Psicoafetivo, Psicomotor, Saúde do Escolar, Saúde do Idoso, Saúde da Mulher, Saúde do Trabalhador, Saúde do Indígena, Contexto Asilar, Contexto Prisional, Geração de Renda, Justiça e Cidadania, Inclusão Laboral, Liberdade Assistida, Liberdade Condicional, Seguridade Social, Contextos Hospitalares.

Existem cursos de especialização ou pós graduação para todos os campos.

Que dificuldades há no início da carreira?

Acredito que na Terapia Ocupacional, uma vez que lidamos com pessoas, as dificuldades mais comuns são as relacionadas a pouca experiência com manejo clínico. Com o tempo, nos tornamos mais habilidosos e assertivos em nossa intervenção.

O que você mais gosta em sua profissão e o que menos gosta?

Particularmente eu amo minha profissão! Somos formados para trabalhar junto aos sujeitos, e isso nos aproxima muito das pessoas as quais trabalhamos. Gosto do fato de poder contribuir na reabilitação das pessoas e com elas encontrar um sentido na vida. Vê-las melhorar ao longo do tratamento é muito gratificante e com certeza é o combustível que me faz querer trabalhar mais e cada vez melhor. Infelizmente ainda é pouco conhecida e valorizada. Além disso, como outras profissões da área da saúde, acredito que o salário poderia ser melhor.

Por que escolheu essa profissão?

Eu queria trabalhar na reabilitação física e acreditava que uma vez que a Terapia Ocupacional tem um viés artístico e um olhar mais integrado isso poderia trazer mais sentido no processo de cuidado. Durante o curso, porem, entrei em contato com a Saúde Mental e foi a área que mais me encantou e a que acabei seguindo ate hoje.

Quais são as principais características e habilidades uma pessoa precisa ter para seguir essa profissão?

Acredito que a primeira exigência para seguir essa profissão é gostar de pessoas, pois são com elas que trabalharemos o tempo todo. Além disso deve-se gostar de cuidar do outro. Ou seja, o profissional de Terapia Ocupacional tem que ter habilidade e manejo na comunicação para lidar com o ser humano e auxilia-lo em seu processo de saúde e doença. E o importante é que possamos vê-las como sujeitos potentes e capazes que podem seguir a vida com mais autonomia.

O que você diria para quem está pensando em cursar essa profissão?

Vá em frente! É uma profissão linda e muito gratificante que tem um olhar diferenciado e humano em relação ao outro e ao mundo! A Terapia Ocupacional é muito importante na área da saúde e demanda muita responsabilidade e atualização constante, para o aprimoramento de seus conhecimentos.

89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo